Tire suas dúvidas sobre os tipos de garantia de locação

Alugar às vezes parece um buraco negro para quem encara pela primeira vez, mas não é tudo isso. Os tipos de garantia de locação, por exemplo, vão além do fiador e podem se encaixar nas suas necessidades. Então, antes de se desesperar, confira as possibilidades de acordo com a Lei do Inquilinato e veja como é fácil alugar.

Confira as possibilidades de garantia de locação:

Fiador

Independentemente de ter grau de parentesco ou não, o fiador precisa ter um imóvel quitado para ser colocado como garantia no contrato de aluguel. Além disso, sua renda mensal precisa ser equivalente a três vezes o valor do aluguel, no mínimo.

Nesse caso, o fiador fica responsável pelo pagamento dos aluguéis e encargos caso o inquilino venha a ficar inadimplente. Em caso de não pagamento, o imóvel que ficou como garantia pode ser penhorado.

Para o inquilino, o fiador é a opção mais barata. Mas não é todo mundo que conhece alguém disposto a assumir o risco e que ainda por cima preencha todos os pré-requisitos.

Nos contratos garantidos por fiador, são exigidas comprovações de renda não só do inquilino como também dos fiadores, bem como a documentação do imóvel posto em garantia. Toda a documentação precisa ser analisada e aprovada antes de assinado o contrato.

Seguro fiança

Essa modalidade tem se tornado mais popular nos últimos tempos e é uma das mais seguras para os proprietários. Aqui o inquilino contrata o serviço de uma seguradora, que será responsável pelo pagamento do aluguel e encargos em caso de inadimplência.

O seguro fiança é pago integralmente pelo locatário e pode cobrir até todos os 30 meses de aluguel, prazo geralmente adotado nos contratos de locação no Brasil. É possível incluir inclusive custos como condomínio e IPTU na cobertura. Assim, se o inquilino ficar inadimplente, o seguro paga os aluguéis até o fim do contrato.

O seguro varia e pode ser parcelado, conforme a seguradora escolhida. Mesmo sendo mais cara, é uma opção para quem não conta com um fiador, além de envolver menos burocracia e não dever favor. O custo depende da avaliação da renda do cliente definido por cada seguradora.

garantia de locação

Título de Capitalização

O inquilino, antes da assinatura do contrato, compra um título de capitalização em seu nome, que fica vinculado à locação. Ao término do contrato, se tudo estiver em dia, resgata o título com correção. Se não, o título é sacado pelo proprietário para cobrir o prejuízo. Havendo sobra de recurso, o dinheiro será sacado pelo locatário.

Carta de Fiança

Um banco dá uma carta de fiança ao locador. Se o locatário não pagar algum aluguel ou encargo, a instituição paga e, depois, faz a cobrança. A obtenção da fiança vai gerar um custo fixo. A diferença entre essa modalidade e o seguro fiança é que a carta de fiança possui uma indenização máxima pré-fixada, ou seja, se o prejuízo for maior do que o limite da apólice, o proprietário assumirá uma perda.

Veja também: Fique de olho nos direitos básicos do inquilino 

Depósito caução

O depósito caução ou garantia de aluguel é o depósito em dinheiro feito pelo inquilino junto com a imobiliária ou proprietário em uma conta poupança, equivalente a três meses de aluguel.

Ao final do contrato, se o locatário optar por deixar o imóvel, os valores devem ser restituídos junto com os rendimentos da aplicação.

Trata-se do procedimento menos burocrático e mais vantajoso para o inquilino, pois ele recobra o dinheiro depositado com correção monetária.

Para o proprietário, no entanto, essa garantia pode ser insuficiente, pois cobre poucos meses de aluguel.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.